O filme estrela Piper, uma fofíssima passarinha da família dos Scolopacidae. Em inglês, o nome da espécie é sandpiper, o que ajudou a batizar a personagem. Biologia à parte, esses passarinhos têm como hábito correr das ondas do mar. Eles enterram o bico na areia, à procura de alimentos, mas assim que veem as ondas de aproximando, correm para longe. Só que por ser bebê, Piper ainda está aprendendo a correr do mar... E é esse processo que inspirou todo o curta. Superar medos, persistir e estar aberto a novas perspectivas são algumas das mensagens importantes do filme.

Leia a entrevista com o diretor do curta, Alan Barillaro:

CRESCER: Qual foi o seu ponto de partida para o filme?
Alan Barillaro: Queria que as pessoas sentissem que é a história que é uma passarinha bebê... e a maneira como esses pássaros fazem seus ninhos é incrível. Eu sempre gosto de fazer minha pesquisa baseado nas espécies, isso traz uma verdade ao trabalho. Estava interessado em estudar os pássaros, identificar seus gestos.

C: E seu filhos (Alan é pai de três crianças: uma menina de 8 anos e um par de gêmeos) inspiraram você de alguma forma para esse trabalho?
AB: Meus filhos me inspiram constantemente. Eles sempre me fazem pensar nas coisas, refletir sobre as situações de uma forma diferente. A gente se esquece dessa empolgação pela vida, de ser otimista, conforme vamos crescendo. O filme fala sobre superar seus medos, ensinar seus filhos a superar seus medos e manter o entusiasmo pela vida. Todas essas coisas são muito honestas. E acho que todos os artistas tentam trazer essa honestidade ao trabalho inspirados em experiências pessoais. Tem que ser o mais pessoal possível para ser honesto.

C: Mas a Piper foi inspirada em algum dos seus filhos?
AB: Tem sempre algumas coisinhas dos personagens que você enxerga nos seus filhos e em você. Piper tem a mesma teimosia que eu. Ao mesmo tempo, essa teimosia é o que eu vivo com meus filhos no dia a dia, pedindo "desçam para jantar", "coloquem o pijama". Brincar com esse tipo de dinâmica sendo pai é muito divertido. E meus filhos herdaram um pouco da minha teimosia...Além disso, como criança eu sempre pensava: o mundo é tão grande... então, como diretor, quis trazer esse ponto de vista da criança da forma mais honesta possível.

Fonte: http://revistacrescer.globo.com/Diversao/Filmes-e-TV/noticia/2016/06/piper-o-novo-curta-da-disneypixar.html